Dentro da barriga

Aos cerca de 22 dias de gestação forma-se o embrião propriamente dito, com a génese dos órgãos e tecidos. A partir dos cerca de 45 dias de gestação a coluna vertebral e cabeça já se encontram formados e aos 60 dias completa-se a formação dos dentes. É este indício que nos evidencia a altura do parto. A gestação termina aos 60 dias, podendo variar entre os 57 e os 63, dependendo de vários factores. A diferenciação sexual ocorre logo no momento da fecundação, pelo que já está determinado desde o início quantos machos e fêmeas a ninhada apresentará. Contudo, só após o nascimento é que é possível saber-se essa informação, pois através dos meios de diagnóstico como o raio-x ou a ecografia não há forma de visualizar o sexo dos cachorros.

 

O parto

Quando os cachorros nascem, a mãe limpa-os e retira os vestígios dos sacos vitelinos que os envolviam no útero, ingerindo as placentas e rompendo os cordões umbilicais. Desde este momento até às duas semanas de idade, os únicos sentidos desenvolvidos dos cachorros são o tacto e o olfacto, indispensáveis para os guiarem até às glândulas mamárias da mãe. Os cachorros não têm capacidade nenhuma de regulação de temperatura corporal, pelo que o contacto físico permanente com a mãe e os irmãos é indispensável.

Duas a três semanas

Dentro deste período, os cachorros começam a abrir os olhos e a ter percepção dos sons à sua volta. Começam também a dar alguns passos, embora cambaleantes e curtos, pois ainda não têm força muscular suficiente para suportar o peso do corpo. Esta é a fase em que os cachorros começam a ter percepção do mundo que os rodeia, tendo uma sensibilidade à luz e ao som muito elevada.

 

Três a quatro semanas

Nesta fase, os cachorros aprendem a andar, a ladrar e também a abanar a cauda! Já começam a reconhecer a mãe e os irmãos, interagindo com os mesmos e iniciando a sua aprendizagem do que é “ser cão”. É o período mais crucial de todo o desenvolvimento psicológico e motor dos cachorros, já que é a partir da terceira semana que os cachorros iniciam a socialização. A interacção com os irmãos irá permitir aos cachorros aprenderem a inibir dentadas, respeitando os outros, desenvolver a coordenação motora e até interagir com pessoas. O contacto que os cachorros tiverem deste momento até ao ano de idade irá ter um impacto profundo na personalidade e perfil psicológico do cão adulto, pelo que até aos 3 meses de idade, no mínimo, os cachorros deverão permanecer com a restante ninhada e mãe para não perderem as suas bases instintivas caninas.

 

Cinco a seis semanas

Os cachorros começam progressivamente a comer ração, intercalando com o leite materno até a mãe deixar de o produzir. A amamentação deve ser encorajada até que a própria mãe tome a iniciativa de “rejeitar” os cachorros ao tentarem. Por este motivo, a introdução de ração não é sinónimo de independência da mãe, sendo apenas uma fase de transição dentro do período familiar exclusivamente canino, não devendo por isso ser este um factor que leve o criador a dar o cachorro para adopção.

 

Dois a três meses

A partir desta altura, já é possível começar a ensinar o cachorro as regras básicas de respeito e higiene, não devendo haver qualquer tipo de exigência exagerada neste ultimo aspecto, uma vez que ainda não têm capacidade para controlar os esfíncteres. É também a fase na qual os cachorros começam a aprender a recear o que os envolve, facto que até então não se verificava, desenvolvendo o instinto de protecção. Por este motivo, a adopção do seu cachorro nesta altura torna o processo mais melindroso. Por outro lado, o sentido de regras já começa a ser instintivo nos cachorros e, se o dono não souber impor limites, o cachorro irá descobrir e definir os seus próprios. É a partir desta fase que a educação deve ser implementada, todos os dias e mesmo atingindo a fase adulta. Aos três meses a maioria dos cachorros já poderá ter maturidade suficiente para ser introduzido numa nova família, tendo esta um papel fundamental no restante desenvolvimento do cachorro até à idade adulta. É a partir deste ponto que nós, como criadores, transmitimos para si a responsabilidade que até então era da mãe e da restante ninhada: saber ensinar o seu novo membro da família a manter-se um cão, respeitando a sua posição na hierarquia da família, e permitir-lhe obter e satisfazer as suas necessidades básicas e naturais.

Se pretende tomar esta responsabilidade e transformá-la na melhor experiência da sua vida, terá sempre todo o nosso apoio! Para começar, leia um pouco mais sobre o seu cão no separador desta página concebido para tal.

 

Aprenda (ou relembre!) um pouco mais sobre o seu cão 

Etapas de vida dos cachorros

solarcaogato@outlook.com
+351 911127194 | +351 918460672

Póvoa de Varzim

©2018-20 BY SOLAR DO CÃO E DO GATO

Este site foi criado ao abrigo do antigo acordo ortográfico.